top of page
  • iara124

As ações da Rhodiola Rosea no paciente



A Rhodiola Rosea é uma planta da família Crassulaceae com efeito adaptógeno, ou seja, tem a capacidade de aumentar a resistência inespecífica do organismo ao estresse, aumentando sua capacidade de adaptação a esse agente estressor.


A Rhodiola Rosea contém diversos compostos que estimulam o cérebro e aumentam a concentração de neurotransmissores como epinefrina, serotonina, acetilcolina e dopamina. Seus mecanismos incluem menor estímulo do eixo hipotálamo-hipófise-adrenal, com menor secreção de cortisol; atuação sobre as monoamina oxidases, reduzindo sua ação e diminuindo as moléculas que degradam amina, como a dopamina e outros neurotransmissores e hormônios relacionados ao humor, além de seu mecanismo de atuação sobre receptores opióides, que estão associados ao humor e redução da sensibilidade ao cortisol e à fadiga.


As ações que a Rhodiola Rosea pode ter no paciente são variadas, como ação antidepressiva, antioxidante, anti-inflamatória, antiestresse, antifadiga e aumento da cognição. Essa atividade anti-inflamatória está relacionada a diversos efeitos protetores e positivos sobre algumas doenças que envolvem inflamação, como doenças cardiovasculares, doenças neurodegenerativas, como Alzheimer e Parkinson, Diabetes Mellitus tipo 2, câncer, artrite e outras doenças metabólicas e inflamatórias.


Suas ações também podem ser positivas em doenças ou condições que envolvem estresse elevado, ansiedade, depressão, fadiga, além de distúrbios do sono e tem efeitos positivos na melhora da cognição, memória, aprendizado, humor, motivação e concentração. Dessa forma, a Rhodiola Rosea tem várias aplicabilidades na prática clínica em diversas condições e momentos com o paciente, podendo ser utilizada para melhorar os sintomas de algumas patologias ou melhorar a saúde mental e sintomas que o paciente apresenta.


Referências:

CROPLEY, Mark; BANKS, Adrian P.; BOYLE, Julia. The Effects ofRhodiola roseaL. Extract on Anxiety, Stress, Cognition and Other Mood Symptoms. Phytotherapy Research, [S.L.], v. 29, n. 12, p. 1934-1939, 27 out. 2015. Wiley. http://dx.doi.org/10.1002/ptr.5486.


ISHAQUE, Sana et al. Rhodiola rosea for physical and mental fatigue: a systematic review. BMC complementary and alternative medicine, v. 12, n. 1, p. 1-9, 2012.


PU, Wei-Ling; ZHANG, Meng-Ying; BAI, Ru-Yu; SUN, Li-Kang; LI, Wen-Hua; YU, Ying-Li; ZHANG, Yue; SONG, Lei; WANG, Zhao-Xin; PENG, Yan-Fei. Anti-inflammatory effects of Rhodiola rosea L.: a review. Biomedicine & Pharmacotherapy, [S.L.], v. 121, p. 109552, jan. 2020. Elsevier BV. http://dx.doi.org/10.1016/j.biopha.2019.109552


63 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page