top of page
  • Foto do escritorEquipe

Dieta anti-inflamatória e síndrome pós-covid


A inflamação crônica e aberrante é uma das consequências em muitos pacientes infectados pelo Sars-CoV-2, mesmo meses após a infecção. Desse modo, estratégias nutricionais que visem a diminuição deste quadro inflamatório são de muita utilidade a melhora do quadro do paciente.


A prescrição da dieta em si deve ter alguns cuidados extras. Principalmente durante a infecção e nas primeiras semanas após, é interessante que haja a realização do primeiro "R" que compõem o protocolo 5R: a remoção. Nesta fase especificamente ao paciente pós-covid, é interessante a remoção do máximo possível de gatilhos inflamatórios, como açúcar e carboidratos simples, histamina, lecitina, industrializados, carne vermelha, defumados, alimentos potencialmente alergênicos (glúten, leite e ovos) e álcool. Desse modo, é possível que haja a maior chance de recuperação da integridade da barreira intestinal, pois ocorre a remoção de agentes estressores ao intestino.


Por outro lado, alimentos e compostos com potencial anti-inflamatório e de recuperação da barreira intestinal, podem ajudar e muito neste momento, como azeite de oliva extra-virgem, ômega-3, triglicérides de cadeia média (TCM), fibras como inulina e amido resistente, vegetais verde escuro e proteínas como colágeno, estão entre as opções, além do jejum principalmente quando efetuado respeitando-se a crononutrição, ou seja, o time-restricted eating. Também, outras estratégias que você pode utilizar ao se pensar no fortalecimento da barreira intestinal, são as seguintes:

  • Glicina;

  • Glutamina;

  • Colágeno;

  • Zinco;


Estratégias que visem a melhora de Akkermansia muciniphila: principalmente se não estiver entre 2-5 % da composição da microbiota intestinal, o consumo de compostos bioativos através de alimentos como cranberry, uva, extrato de romã, e/ou suplementação do óleo de peixe, Bifidobacterium animalis e frutooligossacarídeos (FOS).


Ativos antiinflamatórios: cúrcuma; gengibre; própolis; boswellia serrata.

Evitar alimentos com potencial alergênico, como pão, amendoim, camarão, entre outros.

Por fim, diversos nutracêuticos podem ser administrados em conjunto com tal padrão dietético mais anti-inflamatório, nos quais vamos abordar para você nos próximos posts do nosso Blog.


Referências bibliográficas

Infusino et al. Diet Supplementation, Probiotics, and Nutraceuticals in SARS-CoV-2 Infection: A Scoping Review. Nutrients. 2020 Jun 8;12(6):1718

Calder PC. Nutrition, immunity and COVID-19BMJ Nutrition, Prevention & Health 2020;bmjnph-2020-000085. doi: 10.1136/bmjnph-2020-000085


97 visualizações0 comentário

コメント


bottom of page