top of page
  • Foto do escritorEquipe

Ganho de peso: qual é a influência da microbiota

Compreenda como a microbiota pode exercer um papel no ganho de peso


A questão do ganho de peso e da microbiota sempre gera dúvida nas pessoas. O indivíduo que ganhou peso, terá uma microbiota disfuncional ou uma microbiota disfuncional é a geradora do ganho de peso?


Historicamente, existem diversos estudos que tentaram elucidar a relação entre o tipo de bactéria habitante de um intestino com o estado nutricional do indivíduo. Por exemplo, muitos estudos classificam que os firmicutes são bactérias associadas à obesidade, uma vez que se constatou por diversas vezes na literatura, que indivíduos obesos têm uma razão de firmicutes maior, quando comparada aos bacteroidetes, que estão mais elevados em indivíduos eutróficos.


A microbiota com predominância de firmicutes e menor quantia de bacteroidetes gera um ambiente com o seguinte cenário: ocorre maior extração de energia dos alimentos (por exemplo, fibras que passariam pelo trato gastrointestinal sem ter energias absorvidas passam a desprender calorias), geram excesso de produção de ácidos graxos que pode estimular a lipogênese (ou seja, aumenta a produção de gorduras), aumentam os processos inflamatórios, não interagem tão efetivamente com os hormônios da saciedade (como leptina e grelina, por exemplo) e aumentam a resistência à insulina, o que culmina para um cenário propício para o ganho de peso.


Entretanto, cabe considerar que não há um padrão de microbiota associado à obesidade, já que os estudos indicam uma grande variação interindividual.


Porém, é importante entender que a prevalência de um determinado grupo de bactérias, como os firmicutes muito citados na literatura, em relação a outro grupo, não é determinante de obesidade. É preciso determinar outros parâmetros para uma análise clínica mais fidedigna, que vai além da análise dos exames da microbiota. Ter uma dieta desequilibrada gera uma microbiota em disbiose, que por sua vez desencadeia um ambiente nada favorável para o emagrecimento e manutenção do peso. Portanto, podemos pensar que a dieta e a microbiota agem como uma via de mão dupla, onde fatores de ambas influenciam uma à outra e ainda é cedo, em termos de dados científicos, para definir o que vem primeiro, se o ambiente intestinal em disbiose gerando ganho de peso, ou o contrário.


---


Artigos relacionados



Referências bibliográficas

Magne F, Gotteland M, Gauthier L, Zazueta A, Pesoa S, Navarrete P, Balamurugan R. The Firmicutes/Bacteroidetes Ratio: A Relevant Marker of Gut Dysbiosis in Obese Patients? Nutrients. 2020 May 19;12(5):1474. doi: 10.3390/nu12051474. PMID: 32438689; PMCID: PMC7285218.


Turnbaugh PJ, Ridaura VK, Faith JJ, Rey FE, Knight R, Gordon JI. The effect of diet on the human gut microbiome: a metagenomic analysis in humanized gnotobiotic mice. Sci Transl Med. 2009 Nov 11;1(6):6ra14. doi: 10.1126/scitranslmed.3000322. PMID: 20368178; PMCID: PMC2894525.


Palmas, V., Pisanu, S., Madau, V. et al. Gut microbiota markers associated with obesity and overweight in Italian adults. Sci Rep 11, 5532 (2021). https://doi.org/10.1038/s41598-021-84928-w

12 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page