top of page
  • Foto do escritorEquipe

Probióticos para a melhora do humor, estresse e ansiedade: mito ou verdade?

Atualizado: 13 de fev. de 2023


Atualmente, sabe-se que a microbiota é um componente fundamental da interação eixo intestino-cérebro, que é constituído por rotas bidirecionais que se utiliza de vias como o sistema nervoso parassimpático, o sistema imune, o sistema neuroendócrino e o sistema circulatório para permitir a passagem de metabólitos e neurotransmissores produzidos pelo intestino. Assim, qualquer desordem que ocorre no intestino, como uso de antibióticos, disbiose ou alguma doença, pode interferir na homeostase, gerando um componente inflamatório.


Por isso, a microbiota intestinal exerce influência sobre o funcionamento do eixo intestino-cérebro e pode alterar as funções cerebrais e até mesmo o comportamento, uma vez que ela é capaz de influenciar circuitos neurais e comportamentos associados com uma resposta estressora.


Como o sistema nervoso central humano (SNC) está sob constante influência da microbiota, dos patógenos e seus metabólitos, as perturbações na microbiota podem induzir alterações nos fenótipos patológicos de bactérias associadas à neurodegeneração, saúde mental e comportamental. Dessa maneira, tanto memória, como sintomas de depressão, perturbação do humor e ansiedade podem ser influenciados por um quadro de disbiose, ou o supercrescimento bacteriano.


O intestino possui então, a capacidade de influenciar o SNC, por meio de hormônios derivados do trato gastrointestinal, secreções inflamatórias e produção de citocinas, peça inflamatória chave do sistema imunológico inato.


Probióticos e saúde mental: mito ou verdade


Dados da literatura demonstram que o uso de probióticos impactam no perfil inflamatório dos pacientes e na regulação da via da serotonina. Uma nova classe de probióticos conhecida como psicobióticos, são capazes de produzir e distribuir substâncias neuroativas, como o GABA e a serotonina, que atuam no eixo cérebro-intestino e os efeitos psicofisiológicos dos psicobióticos englobam desde os efeitos nos processos emocionais e cognitivos, efeitos sistêmicos na resposta ao estresse e na inflamação, até efeitos neurais em neurotransmissores.


Ainda que sejam dados recentes, está elucidado que, assim como as disfuncionalidades da microbiota podem contribuir para a comorbidades dos distúrbios gastrointestinais e do humor, a integridade intestinal oriunda dos benefícios pelo uso de probióticos, é fundamental para a biossíntese da serotonina e, consequentemente, para a modulação da saúde mental.


---


Artigo relacionado

Entenda melhor sobre o tema:



Referências bibliográficas

MINAYO, Miryam de Souza; MIRANDA, Iasmim; TELHADO, Raquel Senna. Revisão sistemática sobre os efeitos dos probióticos na depressão e ansiedade: terapêutica alternativa?. Ciência & Saúde Coletiva, [S.L.], v. 26, n. 9, p. 4087-4099, set. 2021. FapUNIFESP (SciELO). http://dx.doi.org/10.1590/1413-81232021269.21342020.


SOUZEDO, Flávia Bellesia; BIZARRO, Lisiane; PEREIRA, Ana Paula Almeida de. O eixo intestino-cérebro e sintomas depressivos: uma revisão sistemática dos ensaios clínicos randomizados com probióticos. Jornal Brasileiro de Psiquiatria, [S.L.], v. 69, n. 4, p. 269-276, dez. 2020. FapUNIFESP (SciELO). http://dx.doi.org/10.1590/0047-2085000000285.


CLARK, Allison; MACH, Núria. Exercise-induced stress behavior, gutmicrobiota-brain axis and diet: a systematic review for athletes. Journal of the International Society of Sports Nutrition, 13-43. 2016. DOI 10.1186/s12970-016-0155-6.

Commentaires


bottom of page