top of page
  • iara124

Quercetina, resveratrol e sua ação antioxidante

Quercetina, resveratrol e sua ação antioxidante: aliados à sua saúde!



A busca por uma vida saudável e equilibrada tem despertado o interesse em substâncias naturais, que possam promover a saúde e prevenir doenças. Nesse contexto, antioxidantes têm se destacado devido à sua capacidade de combater o estresse oxidativo, um processo prejudicial que pode levar a danos celulares e diversas doenças crônicas. Neste artigo, exploraremos dois antioxidantes naturais poderosos: a quercetina e o resveratrol. Vamos entender o que são essas substâncias, como elas agem no corpo, como adequar seus níveis ótimos e qual a relação delas com o estresse oxidativo.

A necessidade dos antioxidantes:

Antes de adentrarmos nas propriedades da quercetina e do resveratrol, é importante compreender a importância dos antioxidantes para a saúde. Os antioxidantes são substâncias capazes de neutralizar os radicais livres, moléculas instáveis que podem causar danos celulares. O estresse oxidativo, resultado do desequilíbrio entre a produção de radicais livres e a capacidade do organismo de neutralizá-los, está associado a diversas doenças, incluindo doenças cardiovasculares, neurodegenerativas e câncer. Consumir alimentos e suplementos ricos em antioxidantes é fundamental para combater o estresse oxidativo e promover a saúde (D'Archivio et al., 2010).

Quercetina:

A quercetina é um flavonoide encontrado em diversos alimentos e plantas, como maçãs, cebolas, uvas e chá verde. Ela possui propriedades antioxidantes, anti-inflamatórias e anticancerígenas. A quercetina age como um capturador de radicais livres, neutralizando-os e prevenindo danos às células. Além disso, ela estimula a atividade de enzimas antioxidantes endógenas, como a superóxido dismutase e a glutationa peroxidase, reforçando a defesa antioxidante do organismo (Li et al., 2016; Yao et al., 2020).

Para garantir níveis ótimos de quercetina, é necessário incluir alimentos ricos nesse flavonoide na dieta e, em complemento a isso, a suplementação pode ser considerada, especialmente em casos em que a ingestão dietética não é suficiente. Vale ressaltar que é importante buscar orientação profissional para determinar a dose adequada de suplementação (Egert et al., 2018).

Resveratrol:

O resveratrol é um polifenol encontrado em vários alimentos, incluindo as uvas, principalmente nas cascas e sementes. Uma das fontes mais conhecidas de resveratrol é o vinho tinto. Esse composto tem propriedades antioxidantes, anti-inflamatórias e cardioprotetoras. O resveratrol atua como um ativador de enzimas antioxidantes, como a superóxido dismutase, além de também estimular a expressão de genes relacionados à defesa antioxidante. Além disso, o resveratrol possui propriedades anti-inflamatórias que podem ajudar a reduzir o risco de doenças cardiovasculares e neurodegenerativas (Leonardi et al., 2018; Movahed et al., 2021).

Embora o consumo moderado de vinho tinto possa fornecer uma fonte de resveratrol, é importante ter em mente que o consumo excessivo de álcool pode ter efeitos negativos na saúde. Portanto, é recomendado obter resveratrol principalmente através de uma alimentação equilibrada, rica em frutas, como uvas e em outros alimentos que contenham esse composto. Da mesma forma que a quercetina, a suplementação com resveratrol deve ser feita sob orientação profissional, para determinar a dose apropriada (Yang et al., 2020).

A quercetina e o resveratrol são dois antioxidantes naturais que desempenham um papel importante na promoção da saúde e no combate ao estresse oxidativo. Essas substâncias, presentes em diversos alimentos e plantas, oferecem benefícios antioxidantes, anti-inflamatórios e proteção contra doenças crônicas. A quercetina atua como um capturador de radicais livres e estimula enzimas antioxidantes endógenas, enquanto o resveratrol ativa enzimas antioxidantes e possui propriedades anti-inflamatórias. Embora a dieta seja a principal fonte desses antioxidantes, a suplementação pode ser considerada em casos em que a ingestão dietética não é suficiente.

Ao incluir alimentos ricos em quercetina e resveratrol em sua alimentação, você pode aproveitar os benefícios desses antioxidantes naturais para promover a saúde e o bem-estar. Lembre-se de que uma abordagem equilibrada, combinando uma alimentação saudável, atividade física regular e hábitos de vida saudáveis, é fundamental para obter resultados ótimos.


Referências Bibliográficas:

D'Archivio, M., Filesi, C., Di Benedetto, R., Gargiulo, R., Giovannini, C., & Masella, R. (2010). Polyphenols, dietary sources and bioavailability. Annali dell'Istituto Superiore di Sanità, 46(4), 348-361. doi: 10.4415/ANN_10_04_08

Egert, S., Bosy-Westphal, A., Seiberl, J., Kürbitz, C., Settler, U., Plachta-Danielzik, S., ... & Müller, M. J. (2018). Quercetin reduces systolic blood pressure and plasma oxidised low-density lipoprotein concentrations in overweight subjects with a high-cardiovascular disease risk phenotype: a double-blinded, placebo-controlled cross-over study. British Journal of Nutrition, 119(9), 1065-1075. doi: 10.1017/S0007114518000469

Leonardi, T., Vanamala, J., & Taddeo, S. S. (2018). Poly phenols and their benefits for human health: a review. Food & Function, 9(7), 2980-2997. doi: 10.1039/c8fo00161b

Li, Y., Yao, J., Han, C., Yang, J., Chaudhry, M. T., & Wang, S. (2016). Quercetin, inflammation and immunity. Nutrients, 8(3), 167. doi: 10.3390/nu8030167

Movahed, A., Nabavi, S. F., Sureda, A., Nabavi, S. M., & Echeverría, J. (2021). Protective effects of resveratrol against neurodegenerative diseases: role of the antioxidant activity. Food and Chemical Toxicology, 154, 112297. doi: 10.1016/j.fct.2021.112297

Yang, Y., Chen, Y., Li, X., Wei, Z., Li, Y., Huang, J., & Chen, D. (2020). Resveratrol attenuates aortic smooth muscle cell proliferation, migration and contraction via the miR-143/actin-bundling protein plastin-3/AMPK signaling pathway. Molecular Medicine Reports, 21(1), 471-480. doi: 10.3892/mmr.2019.10889


359 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page